QUINTA S. JOÃO BATISTA

A origem da Quinta de S. João Batista encontra–se perdida entre histórias de sucessões nobres, doações para ordens religiosas e outros tantos eventos.

Foi adquirida em 1987 pelas Caves Dom Teodósio (empresa que mais tarde viria a integrar o Grupo Enoport Wines) e desde aí, tem-se investido bastante na reestruturação de vinha substituindo vinhas velhas de clones pouco interessantes para as exigências do mercado atual e de difícil adaptação à mecanização por castas com provas dadas na região.

Localizada na Reserva Natural da Biosfera do Paul do Boquilobo, reconhecida pela Unesco desde 1981 como Reserva Mundial da Biosfera, a nossa Quinta de história secular está bem representada na casa senhorial de estilo colonial e inclui também o conjunto arquitetónico com excelentes caves para estágio de vinho (com 585 barricas é uma das maiores da região do Tejo), uma adega de vinificação tradicional e um moderno centro de vinificação. Tem uma área total de cerca de 145 hectares dos quais 130 ha com vinha.

Das castas predominantes na Quinta destinadas à vinificação de vinhos tintos destacamos algumas das tradicionais castas Portuguesas como Castelão, Trincadeira Preta, Touriga Nacional e Touriga Franca, mas também várias castas internacionais como Syrah, Alicante Bouschet e Cabernet Sauvignon. Para vinhos brancos temos a célebre Fernão Pires, Sauvignon Blanc e Chardonnay.

Inserida na região demarcada do Tejo e situada na zona do Bairro entre o Vale do Tejo e os maciços de Porto Mós, Candeeiros e Montejunto, os seus solos argilo-calcários são o terroir ideal para castas tintas. Toda a propriedade tem rega gota-a-gota, estando as vinhas aramadas para permitir a vindima mecânica.

É na Quinta São João Batista que nascem os nossos vinhos DoTejo Cabeça de Toiro e Quinta São João Batista, vinhos de carácter único e distinto. É possível na Quinta observar-se todo o tipo de aves que aqui passam nas suas rotas de migração, sendo de destacar as famosas cegonhas que de Outubro a Maio aqui fazem o seu ninho, emprestando uma beleza especial à paisagem.

A origem da Quinta de S. João Batista encontra–se perdida entre histórias de sucessões nobres, doações para ordens religiosas e outros tantos eventos.

Foi adquirida em 1987 pelas Caves Dom Teodósio (empresa que mais tarde viria a integrar o Grupo Enoport Wines) e desde aí, tem-se investido bastante na reestruturação de vinha substituindo vinhas velhas de clones pouco interessantes para as exigências do mercado atual e de difícil adaptação à mecanização, por castas com provas dadas na região.

Localizada na Reserva Natural da Biosfera do Paul do Boquilobo, reconhecida pela Unesco desde 1981 como Reserva Mundial da Biosfera, a nossa Quinta de história secular está bem representada na casa senhorial de estilo colonial e inclui também o conjunto arquitetónico com excelentes caves para estágio de vinho (com 585 barricas é uma das maiores da região do Tejo), uma adega de vinificação tradicional e um moderno centro de vinificação. Tem uma área total de cerca de 145 hectares dos quais 130 ha com vinha.

Das castas predominantes na Quinta destinadas à vinificação de vinhos tintos destacamos algumas das tradicionais castas Portuguesas como Castelão, Trincadeira Preta, Touriga Nacional e Touriga Franca e também várias castas internacionais como Syrah, Alicante Bouschet e Cabernet Sauvignon. Para vinhos brancos temos a célebre Fernão Pires, Sauvignon Blanc e Chardonnay.

Inserida na região demarcada do Tejo e situada na zona do Bairro entre o Vale do Tejo e os maciços de Porto Mós, Candeeiros e Montejunto, os seus solos argilo-calcários são o terroir ideal para castas tintas. Toda a propriedade tem rega gota-a-gota, estando as vinhas aramadas para permitir a vindima mecânica.

É na Quinta São João Batista que nascem os nossos vinhos DoTejo Cabeça de Toiro e Quinta São João Batista, vinhos de carácter único e distinto. É possível na Quinta observar-se todo o tipo de aves que aqui passam nas suas rotas de migração, sendo de destacar as famosas cegonhas que de Outubro a Maio aqui fazem o seu ninho, emprestando uma beleza especial à paisagem.